Fullcover

Seguro paramétrico

Uma solução bem adaptada para riscos emergentes

Seguro paramétrico
Seguro paramétrico: construção de uma experiência positiva para o cliente
 
O seguro paramétrico é uma cobertura personalizada concebida através da utilização de um parâmetro independente, habitualmente um índice meteorológico, que se correlaciona com o fluxo de receitas ou a estrutura de custos do cliente.

Assim que o índice acordado é alcançado, o pagamento é acionado e os clientes recebem a indemnização no prazo de poucos dias, o que constitui uma experiência muito positiva para o cliente.

Este produto de seguro pode ser aplicado a muitos tipos diferentes de clientes em variadíssimos setores. O que significa que, face a um clima atualmente em mutação e à transição para a energia verde, o seguro paramétrico é uma solução de gestão de risco particularmente bem adaptada.


O setor das energias renováveis no clima volátil de hoje 

A crescente volatilidade das condições meteorológicas e os cada vez mais frequentes eventos meteorológicos extremos estão a provocar um aumento súbito da procura de seguros no setor das energias renováveis. Nos últimos dois anos, os investimentos realizados em energias renováveis ultrapassaram os realizados em energias não renováveis.

De acordo com a análise sobre financiamento no setor da energia da Bloomberg, só em 2015, o capital destinado a energia limpa, cerca de 260 mil milhões de dólares americanos, superou em mais do dobro o capital investido em energias não renováveis. Além disso, devido às alterações climáticas que se verificam atualmente, a ocorrência de anomalias meteorológicas aumentou consideravelmente.

Segundo o Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas, as anomalias meteorológicas quintuplicaram nos últimos 50 anos. Por esta razão, a produção de energia renovável é altamente intermitente – o sol não brilha todos os dias, nem durante todo o dia, o vento não está sempre a soprar e as chuvas fortes e os períodos de seca estão a aumentar à escala global. Devido a esta crescente imprevisibilidade na produção de energia, é fundamental garantir os investimentos. 


Como funciona na prática?
 
Tomemos o exemplo de uma central de energia solar fotovoltaica que procure um seguro que garanta a sua receita em caso de falta de irradiação solar. Uma central de energia solar encontra se altamente exposta ao risco de o sol não brilhar, o qual afetará as receitas mensais e anuais.

Para criar a cobertura mais adequada, a AXA CS trabalha em conjunto com o cliente para melhor compreender as suas necessidades. Os especialistas em análise de dados da AXA modelizam a produção de energia fotovoltaica e a equipa de subscritores chega a um acordo sobre o período de risco depois de estudar o tipo de central, a localização e a capacidade instalada.

Para conceber o melhor índice para as centrais existentes, a equipa de seguros paramétricos serve se do histórico de dados de produção da central em causa, estudando o maior período possível e correlacionando o com os dados disponíveis sobre as condições meteorológicas.

Assim, o seguro paramétrico permite suavizar diferenças de receitas de uns anos relativamente a outros. Sem uma cobertura paramétrica, o cliente ficaria numa situação de grande volatilidade, com receitas imprevisíveis e dependentes de condições meteorológicas e de outros fatores. Com a cobertura paramétrica da AXA, o cliente pode assegurar receitas mais equilibradas. 


Utilização de dados sofisticados para um produto mais adequado
 
Através de imagens de satélite, a equipa de especialistas da AXA é capaz de recolher e de trabalhar com dados cada vez mais sofisticados sobre as condições meteorológicas. As imagens de satélite possibilitam o acesso a dados como a velocidade do vento, a altura das ondas, a radiação solar, a precipitação e muitos outros índices, que, em combinação com métodos de processamento sofisticados de Big Data, permitem a construção de produtos de seguro paramétrico altamente precisos.

A equipa estima que, graças aos contínuos avanços da tecnologia e dos métodos de processamento de Big Data, o seguro paramétrico continuará a crescer de forma considerável. Em dois anos, a equipa de seguros paramétricos da AXA desenvolveu a capacidade de operar à escala global e a competência técnica para gerir vários riscos neste setor em desenvolvimento e, hoje, atua em mais de 27 países do mundo inteiro.


Completar as tradicionais coberturas paramétricas com soluções alternativas de transferência do risco permite ir ao encontro das necessidades específicas de cada empresa
 
O mundo de hoje, complexo e em rápida evolução, gera um número crescente de riscos que não podem ser cobertos pelos seguros ou produtos financeiros tradicionais. As empresas estão cada vez mais interessadas em soluções de financiamento do risco e de Alternative Risk Transfer (ART)1 para mitigar o impacto das perdas nas contas de exploração (perda de receitas, perda de lucros, custos de trabalho adicionais, outros custos e despesas, perda de ativos), dedicando uma parte do orçamento ao financiamento de perdas futuras e agregando as exposições de várias subsidiárias e/ou entidades operacionais.

Esta é também uma preocupação importante para as atividades que operam no âmbito das energias renováveis. Os instrumentos de financiamento do risco acima referidos conferem às organizações proteção contra perdas financeiras decorrentes de diversos riscos, entre os quais se contam penalizações, perdas de exploração sem danos materiais, perdas de acesso, danos de reputação ou de marca, falhas de fornecimento e outras perdas decorrentes de mudanças na legislação / regulação, riscos políticos, cibercrime e falhas de TI, pandemias / epidemias, ameaças terroristas e acontecimentos meteorológicos excecionais; essa proteção pode ser associada ou funcionar em alternativa à transferência paramétrica tradicional.

O Departamento de ART da AXA CS trabalha em estreita colaboração com os clientes e corretores, usando a sua vasta experiência para conceber mecanismos à medida, capazes de suavizar a volatilidade de perdas e ganhos. Os especialistas de ART têm a capacidade de desenhar e implementar programas estruturados de proteção, com ou sem cativas, conjugando o financiamento do risco para riscos não seguráveis com coberturas tradicionais, por forma a construir uma solução abrangente. 


Combinação de seguro paramétrico e de ART — um mundo de possibilidades que se abre

Combinar soluções paramétricas com ART é especialmente interessante para os clientes por várias razões. Em primeiro lugar, o seguro paramétrico é extremamente flexível em termos de budget. Os prémios, a capacidade, os triggers e os limites são completamente maleáveis.

O gestor de riscos, o gestor de cativas, o corretor e o segurador trabalham em conjunto para construir a solução financeiramente mais adequada.

Em segundo lugar, o seguro paramétrico é flexível no que respeita às geografias e ao tipo de risco, podendo ser adaptado ao risco em qualquer parte do mundo, em muitas zonas geográficas ou numa localização específica. Além disso, este seguro pode garantir uma multiplicidade de tipos de risco, desde que sustentados num índice independente e verificável.

Por fim, o seguro paramétrico combinado com soluções de ART é uma forma de abrir novas fronteiras de segurabilidade. O seguro paramétrico permite cobrir riscos que, normalmente, não são cobertos por apólices de seguro standard (por exemplo, de seguros patrimoniais).

Em combinação com cativas, o seguro paramétrico cria uma nova fronteira de segurabilidade, abrindo um mundo de possibilidades. 


Por Marine Charbonnier (Head of Risk Financing Solutions na AXA) e Tanguy Touffut (Global head of Parametric Insurance na AXA)




Nota do editor – Soluções Alternativas de Transferência de Risco
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi
Descubra o mundo MDS