Fullcover

Apresentamos a HighDome

No Grupo MDS temo-nos sempre esforçado por ser inovadores, estar sempre "alerta” a novas soluções do mercado, e também ouvir atentamente as boas ideias da nossa equipa. A HighDome é um bom exemplo desta cultura.

Apresentamos a HighDome
Há dois anos, sensivelmente, estivemos num Seminário em Londres onde nos foi apresentado o conceito de PCCs – "Protected cell companies”. Em termos profissionais já estávamos obviamente familiarizados com o conceito de cativas – trabalhando já há alguns anos com a cativa da Sonae, SonaeRe – mas esta ideia de uma companhia com várias "células”, financeiramente independentes umas das outras mas, ao mesmo tempo, geridas por um mesmo "núcleo”, pareceu-nos muito interessante, já que a podíamos colocar ao serviço de vários Clientes, como se cada um tivesse a sua "mini” companhia cativa.

Quando apresentámos a ideia de criar uma PCC para os Clientes do Grupo MDS e da BrokersLink, fomos encorajados no sentido de avançar com um projeto totalmente inovador, nomeadamente pelo facto de surgir num Grupo com origem em Portugal. 


O conceito 
As PCCs são uma forma evoluída do conceito de "rent a captive”, sendo uma única pessoa jurídica com duas classes de ações: as ações do núcleo e as acções das células. Cada célula é completamente independente do núcleo e das outras células, e os capitais e responsabilidades de cada célula estão legalmente protegidos relativamente às outras células.

O capital mínimo exigido para o núcleo é fornecido pelo promotor da PCC (Grupo MDS), enquanto que o capital mínimo de solvência fica a cargo do dono da célula para a sua atividade de seguro (representando uma percentagem dos prémios, nos termos da regulamentação aplicável).

Com uma PCC conseguem-se obter todos os benefícios de uma "cativa pura”, com menos custos para o dono da célula, o que permite o acesso a este tipo de solução por PMEs; ao mesmo tempo, existe uma possibilidade de saída fácil através da liquidação da célula, após um período de run-off (dependendo, obviamente, do facto de a célula subscrever riscos de curta ou longa duração). Tem de ser elaborado um estudo de viabilidade previamente ao processo de constituição da célula, que se prevê dure entre 3 a 4 meses. 


Porquê Malta 

Desde o primeiro momento, Malta foi "o lugar” para criar uma PCC, já que é o único domicílio na União Europeia com legislação específica sobre PCCs. As únicas outras legislações europeias sobre PCCs são Guernsey e Gibraltar.

Mas outras razões, para além desta, tornam Malta um local muito interessante para criar uma empresa: é um centro financeiro altamente desenvolvido (e estável!), com uma ordem jurídica conceituada e com regulamentação adequada; dispõe de profissionais altamente qualificados e fluentes em várias línguas, dispondo igualmente de um regime fiscal favorável e de acordo com a legislação europeia. 


Porquê HighDome 

Malta impressiona-nos com a sua história e a sua cultura. Malta é uma ilha com mais de 5.000 anos de história que incluem alguns episódios impressionantes como o cerco de Malta pelos Turcos em 1565 e os violentos bombardeamentos feitos pela aviação italiana (país vizinho) durante a 2ª Guerra Mundial. Quando olhamos para a história de Malta deparamo-nos com um povo resistente, dono de um espírito indómito.

Quando escolhemos o nome para a nossa companhia quisemos homenagear este espírito e esta força inata, e achámos que estariam bem representados pelas "cúpulas altas” (highdomes) das catedrais de Malta, cuja silhueta podemos ver claramente desenhadas no horizonte. E assim ficou HighDome, e temos muito orgulho no nosso nome e na força que ele representa. 


Quem somos 

A HighDome é uma companhia de seguros registada e domiciliada em Malta, regulada pelo MFSA (Autoridade de Serviços Financeiros de Malta) nos termos da lei ("Companies Act Regulations – 2004”). Após um processo de autorização algo longo, a HighDome foi constituída no dia 23 de Novembro de 2011, estando autorizada a desenvolver negócio desde o dia 1 de Dezembro de 2011.

A HighDome está autorizada a desenvolver negócios de seguro e resseguro em riscos de curta duração, como acidentes, veículos terrestres (danos próprios), mercadorias em trânsito, incêndio e riscos da natureza, outros danos em coisas, riscos diversos e perdas de exploração. Seguiu, entretanto, o pedido de autorização para exploração de Crédito e Caução.

A equipa de gestão da HighDome é constituída por profissionais com vasta experiência no sector segurador, quer em subscrição quer na área comercial, a um nível nacional e internacional. O Comité de Risco e "Compliance” e o Comité de Investimentos assessorarão o Conselho de Administração relativamente a decisões nas suas áreas respetivas.

Por Paula Rios, Executive Director MDS


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Descubra o mundo MDS